Disfunções Anorretais

 

1telma

 

Dra. Telma Lahera – Ariquemes, RO
Fisioterapeuta Pélvica
CREFITO-9 176.120-F

 

 

 

Muitas pessoas, principalmente as mulheres, sofrem com as disfunções anorretais, problemas estes que envolvem o ânus e reto. Dentre as mais conhecidas estão a constipação intestinal (ou prisão de ventre) e a incontinência fecal (perda involuntária de flatos ou gases e fezes), que pode iniciar após um trauma perineal na hora do parto (esforço excessivo e/ou uso de fórceps).

Outro problema local é a constipação crônica, relacionada ao aumento do esforço intra-abdominal durante a defecação. Também a lesão na região anal durante alguma cirurgia na região pélvica pode ocasionar alguma disfunção anorretal, assim como há o risco aumentado nos casos de múltiplas gestações e partos e com o avanço da idade, ou as alterações hormonais da menopausa, que contribuem para o enfraquecimento muscular perineal.

Particularmente a perda de fezes é uma das situações que mais atrapalham o convívio social das pessoas, diminui a qualidade de vida, contribui para o isolamento social e depressão. Muitas pessoas não procuram tratamento por vergonha ou desconhecimento do mesmo, o que é um erro considerando que existe tratamento eficaz para o  problema, muitas vezes com exercícios relativamente simples.

]á a constipação intestinal é uma queixa muito frequente na população, devido especialmente aos maus hábitos alimentares, pouca ingestão de líquido, posicionamento inadequado durante a evacuação e uso de alguns medicamentos podem favorecer o aparecimento da constipação. Entretanto, existem outras causas que estão relacionadas com a musculatura que controla as fezes (músculos que ficam ao redor o anus e da vagina, ou músculos perineais). A dificuldade no relaxamento desses músculos dificulta a passagem das fezes; além disso, alguns pacientes têm incoordenação na hora de defecar (ao invés de relaxar essa musculatura para eliminar as fezes, ele contrai retendo as fezes e não permitindo a defecação). Todas essas situações têm indicação de tratamento com fisioterapia pélvica e podem ter resultados muito satisfatórios. O importante é procurar ajuda de um profissional de saúde para identificar a causa e utilizar os recursos mais indicados.

O tratamento com fisioterapia pélvica atua tanto no fortalecimento como no relaxamento da musculatura que controla as fezes. Dentre as técnicas mais conhecidas estão a eletroneuroestimulação, biofeedback, treinamento dos músculos do assoalho pélvico, treinamento retal com balonete, massagem do assoalho pélvico, modificação comportamental, treinamento vesical e conscientização corporal, devolvendo ao paciente sua auto-estima, autoconfiança e consequentemente melhorando sua qualidade de vida.

 

Referências Bibliográficas:

FERREIRA, Lucas Lima; MARINO, Carvalho Lais Helena. CAVENAGHI, Simone Intervenção Fisioterapeutica na Incontinencia Fecal no Idoso. Disponivel em: <http://files.bvs.br/upload/S/1983-2451/2012/v37n3/a3308.pdf>. Acesso em: 10 Agos. 1014.

VASCONCELOS, Camila Teixeira Morreira. et al. Disfunçoes do Assoalho Pélvico, Perfil Sociodemografico e Clinicodas Usuarias de um Ambulatorio de Uroginecologia. Disponivel em: <http://gestaoesaude.unb.br/index.php/gestaoesaude/article/viewFile/226/pdf_1>. Acesso em: 11 de Agos. 2014.